Raio-X OAB
Já imaginou o que está por trás dos dados do exame da Ordem?
A Estudologia decifrou tudo para você.
SOBRE O
RAIO-X OAB
Fizemos a compilação dos dados disponibilizados pela FGV a respeito do Exame da Ordem, que já ocorre sob a responsabilidade da instituição há 28 edições. A lista de informações coletadas inclui provas, gabaritos e número de inscritos por prova.

O objetivo dessa análise é esclarecer as dinâmicas do exame de forma mais profunda. Afinal, o desempenho do inscrito está ligado não só ao conteúdo do edital, mas também às minúcias do processo de seleção.
Por que estamos fazendo isso?
O presente trabalho é inspirado na cultura de colaboração e interatividade da Internet, cerne das nossas motivações. A educação aberta, afinal, se fundamenta na premissa de que todos devem ter a liberdade de usar, personalizar, melhorar e redistribuir os recursos educacionais, sem restrição. Por isso, a Estudologia vai revelar o estudo para toda e qualquer pessoa, entidade ou empresa que queira consultá-lo, replicá-lo ou aprimorá-lo, incluindo seu dataset.
Por que escolhemos o exame da OAB?
O exame da OAB foi escolhido para iniciar a série de Raio-x da Estudologia. As análises dos dados do concurso, dos tópicos e subtópicos das questões, da semântica dos textos e de cruzamentos com dificuldades serão aplicadas primeiramente aí, para gerar roteiros de estudo personalizados e adaptativos. Com êxito, esperamos ampliar o alcance da Estudologia para outros concursos.
SOBRE O
EXAME DA OAB
Os profissionais de direito que escolhem exercer a advocacia precisam passar pela aprovação no Exame da Ordem. Também é muito comum que os concursos públicos que exigem a graduação de Direito incluam, nos seus editais, o exame como pré-requisito.
Pré-requisitos
Os candidatos devem comprovar a matrícula nos dois últimos semestres de Direito. Os aprovados que ainda não graduaram podem retirar os seus certificados de aprovação se apresentarem os requisitos acima.
Banca Organizadora
A Fundação Getúlio Vargas (FGV) é a responsável pela aplicação da prova da OAB desde 2010. A única exceção foi o primeiro exame de 2021, realizado pelo Cespe/UNB.
Fases
A Prova OAB possui duas etapas: a aplicação de prova objetiva e de prova prático-profissional, ambas de caráter obrigatório e eliminatório.
1ª fase · Objetiva
A prova da 1ª fase é composta de 80 questões de múltipla escolha com 4 alternativas e dura cinco horas. Para ser aprovado nessa etapa, o candidato deve acertar 50% das respostas e não é permitido qualquer tipo de consulta.
2ª fase · Prático-profissional
Após aprovados na 1ª Fase, os cadidatos são habilitados para a prova prático-profissional, que também tem duração de cinco horas.
Na inscrição, o candidato escolhe entre as sete opções:
  • · Direito Administrativo
  • · Direito Civil + Direito Processual Civil
  • · Direito Constitucional
  • · Direito Empresarial
  • · Direito Penal + Direito Processual Penal
  • · Direito do Trabalho + Direito Processual Trabalhista
  • · Direito Tributário
A prova da 2ª fase se divide em duas partes:
1ª parte
Redação de peça profissional, valendo cinco pontos, acerca de tema escolhido.
2ª parte
Quatro questões discursivas dentro do tema escolhido e na forma de situações-problema, valendo 1,25 ponto cada.
ANATOMIA DA
1ª FASE
Desde a primeira edição elaborada pela FGV em 2010, a prova da primeira fase passou por alguns arranjos diferentes, especialmente quando analisamos a quantidade de questões por disciplina do Direito. Analisando as mudanças, encontramos quatro padrões distintos.
Edições I, II & III
Nas três primeiras edições do exame, a banca apresentou provas com 100 questões, algo que não voltou a se repetir até hoje.

Quantidade de questões por tema da prova (Passe o mouse):


Edições IV a IX
Além de reduzir o número total de questões para 80, a banca passou a contar com mais uma disciplina na prova: Direitos Humanos. Aumentaram o número de questões sobre o Estatuto da OAB para 12, representando 15% da pontuação da prova - algo que não voltou a se repetir nas edições seguintes.

Quantidade de questões por tema da prova (Passe o mouse):


Edições X a XXII
Foi o período onde a distribuição de questões se manteve inalterada por mais tempo – 23 edições. A matéria de Estatuto da OAB, apesar de permanecer a disciplina com maior número de questões, caiu de 12 para 10 questões, cedendo as 2 questões excedentes a uma nova disciplina: Filosofia do Direito.

Quantidade de questões por tema da prova (Passe o mouse):


Edições XXIII a XXXI - Período atual
A sutileza das mudanças nesse período sugere que a banca, cada vez mais, tem se aproximado de uma distribuição que considera ideal para a prova. Houve apenas uma leve diminuição no número de questões de Estatuto da OAB, o que permitiu acresentar mais questões de outras disciplinas como Direito Tributário, Direito Processual Civil e Direito Processual Penal (mantendo o total de 80 questões).

Quantidade de questões por tema da prova (Passe o mouse):


ARQUIVO DE
PROVAS
Faça o download de todas as edições do Exame realizadas até o momento.
COMO FUNCIONA A
2ª FASE
Estrutura da prova
A prova da 2ª fase se divide em duas partes: Na primeira parte o candidato redige uma peça profissional, valendo cinco pontos, acerca de tema escolhido. Na segunda, são respondidas quatro questões discursivas dentro do tema escolhido e na forma de situações-problema, valendo 1,25 ponto cada.
Consulta de materiais
Para a realização da prova prático-profissional, o candidato poderá realizar consulta exclusiva a legislação, súmulas, enunciados, orientações jurisprudenciais e precedentes normativos sem qualquer anotação ou comentário, de acordo com as regras do edital vigente. Confira abaixo os materiais permitidos e não permitidos.
Materiais permitidos
  • Legislação não comentada, não anotada e não comparada.
  • Códigos, inclusive os organizados que não possuam índices estruturando roteiros de peças processuais, remissão doutrinária, jurisprudência, informativos dos tribunais ou quaisquer comentários, anotações ou comparações.
  • Súmulas, Enunciados e Orientações Jurisprudenciais, inclusive organizados, desde que não estruturem roteiros de peças processuais.
  • Leis de Introdução dos Códigos.
  • Instruções Normativas.
  • Índices remissivos, em ordem alfabética ou temáticos, desde que não estruturem roteiros de peças processuais.
  • Exposição de Motivos.
  • Resoluções dos Tribunais.
  • Simples utilização de marca texto, traço ou simples remissão a artigos ou a lei.
  • Separação de códigos por clipes.
  • Utilização de separadores de códigos fabricados por editoras ou outras instituições ligadas ao mercado gráfico, desde que com impressão que contenha simples remissão a ramos do Direito ou a leis.
Números globais
  • Códigos comentados, anotados, comparados ou com organização de índices estruturando roteiros de peças processuais.
  • Jurisprudências.
  • Anotações pessoais ou transcrições.
  • Cópias reprográficas (xerox).
  • Utilização de marca texto, traços, símbolos, post-its ou remissões a artigos ou a lei de forma a estruturar roteiros de peças processuais e/ou anotações pessoais.
  • Utilização de notas adesivas manuscritas, em branco ou impressas pelo próprio examinando.
  • Utilização de separadores de códigos fabricados por editoras ou outras instituições ligadas ao mercado gráfico em branco.
  • Impressos da Internet.
  • Livros de Doutrina, revistas, apostilas, calendários e anotações.
  • Dicionários ou qualquer outro material de consulta.
  • Legislação comentada, anotada ou comparada.
  • Súmulas, Enunciados e Orientações Jurisprudenciais comentados, anotados ou comparados.
Métricas e Resultados
Números globais
380.000
Média de número de alunos que fazem a prova por ano.
3.555.972
Numero de alunos que ja fizeram a prova até hoje.
1.077.837
Total de alunos aprovados.
61%
Número e porcentagem de alunos aprovados por fase (índice de aprovação).